Pedreiras

 

O concelho de Alenquer dispõe de um extensa zona calcária aproveitada pela industria de extracção de inertes, que arrasta enormes danos ambientais, na paisagem e na qualidade de vida das populações das áreas envolventes. 500 hectares de pedreiras estão licenciados, a maioria sem estudos de impacte ambiental.

 

 

Alguns comunicados da Alambi sobre as pedreiras

 

O inexplicável atraso na recuperação paisagística do Cabeço de Meca (3/1/2006)

Governo não aplica legislação - comunicado conjunto com a Quercus (14/1/2004)

Pedreiras de Alenquer - um problema sem fim à vista (27/11/2003)

Lixo na Pedreira da Boavista (25/7/2001)

O imposto municipal sobre a Extracção de Inertes (27/2/2000)

 

Plano Ambiental de de Recuperação Paisagística do Cabeço de Meca

 

Consultar

 

REPAVI

 

 

O projecto REPAVI, implementado pela Alambi, visa a monitorização dos níveis das vibrações provocadas pela actividade das pedreiras existentes no concelho de Alenquer e a monitorização dos trabalhos de recuperação paisagística que incumbem a essas pedreiras. Pretende-se também sensibilizar a população escolar do concelho para os problemas ambientais decorrentes da actividade em causa.

No âmbito deste projecto foram instalados aparelhos monitorizadores de vibrações perto das pedreiras em funcionamento. O registo em contínuo funcionou como factor de dissuasão fazendo com que fossem adoptados procedimentos mais criteriosos e inócuos para terceiros, nomeadamente a adopção de esquemas de fogo adequados.